Tag Archive for: Festival da Canção XXI

Conan Osíris
Conan Osíris

Discografia

Álbuns

Música, Normal ‎(12xFile, FLAC, MP3, Album) AVNL Records 2016
Adoro Bolos ‎(11xFile, FLAC, MP3) AVNL Records 2017

Singles & EPs

AMALIA ‎(File, FLAC, MP3, Single) 2014
Silk ‎(6xFile, MP3, EP, 320) AVNL Records 2014
QMD ‎(File, FLAC, MP3, Single) 2015
名誉MEIYO ‎(File, FLAC, MP3, Single) 2015
1RIO ‎(File, FLAC, MP3, Single) 2015
NUBAI ‎(File, FLAC, MP3, Single) 2015
Telemóveis ‎(CD, Mini, Single, Promo) Viagens A Marte 0000 2019
Conan Osiris, Messias Maricoa – Baza Agora ‎(File, FLAC, Single) 2020
Branko – Ana Moura – Conan Osiris – Vinte Vinte ‎(File, FLAC, Single) Enchufada 2020

Compilações

Música do Tempo da Loja ‎(Box, Comp + 3xCD, Album, EP, Dig) Ao Sul do Mundo 2019

Perfil

Conan Osíris é o nome artístico de Tiago Miranda, nascido em Lisboa. Teve a sua estreia discográfica em 2016 com o álbum “Música Normal”. Em 2018, e já depois de ter lançado um segundo álbum, ao qual chamou “Adoro Bolos”, fez a sua estreia televisiva numa participação do programa da RTP “5 Para a Meia Noite”. Ao vivo, num palco sem câmaras pela frente, a estreia ocorreu na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa. Foi o representante de Portugal em 2019 no Festival da Eurovisão.

Conan Osíris é autor, compositor e também produtor das suas canções.

Conan Osíris

Conan Osiris, Silk

Conan Osiris, Silk

Partilhe
Share on facebook
Facebook
D’Alva
D’Alva

Discografia

Alex D’Alva Teixeira nasceu em 1990 e Ben Monteiro em 1980. A música que fazem juntos nasce sob a ideia de inclusão tanto nas questões musicais como raciais, etárias, sociais ou religiosas. E foi sob essas premissas que lançaram, em maio de 2014, o disco de estreia “#batequebate”.

Os D’Alva são uma banda cujo código genético é multicultural. Tanto Alex como Ben cresceram na Grande Lisboa, mas África e o Brasil correm no sangue das suas famílias. Essa herança transporta-se para palco com a liberdade e a energia próprias dos trópicos, cruzada com um espírito estético pop.

Foram convidados para atuar para nos festivais NOS Alive e Sol da Caparica e em salas mais intimistas, como por exemplo, o Theatro Circo de Braga. Foram responsáveis pela banda sonora tocada ao vivo no desfile do criador Luís Carvalho, na ModaLisboa.

Nos Portugal Festival Awards, foram nomeados na categoria de Melhor Atuação ao Vivo – Artista Revelação. O seu mais recente disco, “Maus Êxitos”, foi lançado em 2018 e entrou diretamente para o número um do top de álbuns do iTunes.

Fonte: Media RTP

D’Alva

Partilhe
Share on facebook
Facebook
D.A.M.A.
D.A.M.A.

Discografia

Álbuns

Uma Questão De Princípio 2 versões Sony Music 2014
Dá-Me Um Segundo 3 versões Sony Music 2015
Lado A Lado 3 versões Sony Music 2017
Sozinhos À Chuva 2 versões Sony Music 2020
Sozinhos À Chuva ‎(LP, Álbum) Sony Music 19439821891 2020

Perfil

Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho são o núcleo central dos D.A.M.A.

O grupo nascido em Lisboa, começou por ser um projeto de pop/rap, tendo progressivamente procurado libertar-se de quaisquer restrições musicais, procurando sempre escrever canções com que as pessoas se identifiquem e que, acima de tudo, transmitam uma mensagem positiva.

Chamaram atenções quando uma versão de “Popless” dos GNR tocou pela primeira vez na rádio.

Em 2014 asseguraram a primeira parte do concerto de One Direction no Estádio do Dragão (Porto) alargando mais ainda a popularidade do grupo.

No mesmo ano editaram o seu álbum de estreia ao qual chamaram “Uma Questão de Princípio”. O segundo álbum “Dá-me um Segundo” saiu em outubro de 2015 e entrou para 1º lugar do TOP nacional.

Depois de em 2015 esgotarem dois dias no Campo Pequeno e de em 2016 lotarem por completo o Altice Arena em 2017 lançaram “Lado a Lado”, um terceiro álbum. A sua obra inclui ainda várias canções de êxito lançadas fora do alinhamento destes três discos.

Fonte: Media RTP

D.A.M.A.

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Filipe Keil
Filipe Keil

Discografia

Nascido em Chaves em 1991, Tiago Filipe Pinheiro Batista é um cantor, compositor, letrista, produtor musical e arquiteto que se apresenta com o nome artístico Filipe Keil. Desde cedo mostrou interesse pela música e o piano foi o primeiro instrumento que o cativou.

Em 2006 escreveu a sua primeira canção – “Só quero um mundo melhor” – inspirada pelo que via nos noticiários. Foi com essa canção que concorreu no Festival da Canção Júnior na RTP, que correspondeu à sua primeira experiência televisiva. Em 2007 mudou-se para Silves onde fez o ensino secundário em Artes Visuais e em 2009 partiu para Lisboa para fazer um mestrado integrado em Arquitetura.

Formou a sua primeira banda (os Copycats, que tocavam versões). Em 2013 lançou o single de apresentação, “Kind of Funny” e participou no programa de talentos “Factor X”.

Compôs o seu primeiro disco a solo em 2014, o EP “Keil”, produzido em parceria com Liberdade (Gustavo Almeida). Em 2017, lançou um single e um EP de temas acústicos, incluindo o tema “Sonhador” e participou no programa “Masterclass” da Antena 1.

Em 2022 estreou-se no Festival da Canção.

Fonte: Media RTP

Filipe Keil

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Flak
Flak

Discografia

Flak, pseudónimo de João Pires de Campos, é um músico e produtor português com uma carreira de mais de 35 anos.

Em 1983 fundou, juntamente com Xana e Alex Cortez, os Rádio Macau, banda com o qual editou oito discos e escreveu temas como “Anzol”, “Amanhã é sempre longe demais” e “Elevador da Glória”.

Em 2001 formou os Micro Audio Waves com que viajou pela Europa e cujo disco “No Waves” foi considerado como um dos mais excitantes do ano pelo lendário John Peel da BBC. Fez parte dos Palma’s Gang nos anos 90 e produziu discos de Jorge Palma, GNR, Entre Aspas e os próprios Rádio Macau, bem como de várias bandas emergentes.

Em 2017 uniu forças com Benjamim (pseudónimo de Luís Nunes, também ele músico e produtor), tendo em vista a gravação de um sucessor do há muito esgotado álbum a solo (homónimo) lançado por Flak em 1998 – álbum que incluía temas como “Sei onde me vou perder”, “Imenso Adeus” e “De Azul em Azul”, tema cantado por Xana (Rádio Macau). O álbum novo – “Cidade Fantástica” – foi gravado entre o antigo estúdio de Flak na Rua do Olival e o Estúdio/Submarino de Benjamim e chegou às lojas em novembro.

Fonte: Media RTP

Flak

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Lura

Lura

Discografia

Natural de Lisboa, filha de cabo-verdianos, onde nasceu em 1975, Lura estava a estudar desporto em Lisboa, quando um primeiro desafio a levou a descobrir uma outra paixão: o canto.

Ainda antes da viragem do século viu um tema seu a ganhar visibilidade internacional no álbum “Onda Sonora: Red Hot + Lisbon”. A exploração mais profunda das suas raízes começou a ganhar forma em “Di Korpo Ku Alma” (2004), disco que teve edição em dez países, valendo-lhe ser notada pelos BBC World Music Awards e os Victoires de La Musique.

Fonte: Media RTP

Lura

Partilhe
Share on facebook
Facebook
André Tentugal
André Tentugal
Discografia

André Tentugal nasceu no Porto em 1982 e cedo começou a demonstrar uma paixão pela possibilidade que as imagens têm para nos contar histórias e de perpetuar momentos passados. Envolvido num espírito de rebeldia iniciou uma carreira musical associada ao movimento punk e descobriu assim o universo dos músicos.

Tinha 17 quando trabalhou nos seus primeiros videoclipes, iniciando uma obra junto de músicos relevantes no panorama nacional e a ter destaque em alguns festivais da especialidade, assim como a explorar também outros tipos de formato para televisão. A sua obra nesta área envolve já nomes como os de Ana Moura, Gisela João, X-Wife, Mind da Gap, Peixe:Avião, Mallu Magalhães, Rodrigo Amarante ou Manel Cruz.

Paralelamente à sua carreira de realizador, André encontrou também o seu lugar enquanto músico. Criou os We Trust em 2011, projeto que nasceu com um single que se fez notar no universo da Música Alternativa: “Time (Better Not Stop)”.

Foi firmando esta sua carreira ao continuar não só a criar canções que ganham destaque nas rádios nacionais, como também a produzir e escrever para outros interpretes, e compondo também para anúncios e outros tipos de trabalho audiovisual.

Fonte: Media RTP

André Tentugal

André Tentugal

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Frankie Chavez
Frankie Chavez

Discografia

Natural de Lisboa, Frankie Chavez conjuga diferentes sonoridades, um blues/folk composto por ambientes limpos e por outros mais crus e psicadélicos.

Em 2010 lançou o seu primeiro EP. Nesse mesmo ano assinou, com Manuel Faria (Trovante), a banda sonora do documentário de Jorge Pelicano “Pare, Escute, Olhe”.

O seu álbum de estreia “Family Tree” (2011) contou com a participação de Sérgio Nascimento e do baterista Kalú (Xutos & Pontapés).

Fonte: Media RTP

Frankie Chavez

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Mariana Bragada
Mariana Bragada

Discografia

Mariana Bragada nasceu em Bragança em 1997 com a necessidade de cantar, de ouvir e se expressar. As primeiras músicas originais surgiram aos 15 anos, assim que aprendeu a tocar guitarra. Mas canta desde que tem memória, tanto para passar o tempo como para vencer os medos.

Mais tarde mudou-se para o Porto para estudar Design de Comunicação e ali foi acolhida por novos ritmos e influências.

Não se esquecendo das raízes criou o seu primeiro EP para um projeto da faculdade: “A voz, A vós, Avós”, trabalho feito com uma loopstation, improvisação vocal e gravações dos avós.

Para além da guitarra, Mariana explora melodias usando apenas a voz, cosendo tapetes sonoros de sonhos e linguagens coletivas.

Com o projeto MetaMónada, tocou em 2018 no TedxPorto, Festival Bons Sons, Um ao Molhe, SofarSounds Madrid, Porto e Coimbra, entre outros. Gravou para “A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria “ e para a Antena1, tendo participado no programa “Masterclass”. Tem também trabalho de sonoplastia feito para o teatro (com o Um Coletivo) e está a trabalhar no seu disco de estreia.

Fonte: Media RTP

Mariana Bragada

Partilhe
Share on facebook
Facebook
Miguel Guedes
Miguel Guedes

Discografia

Miguel Guedes é autor, intérprete e vocalista dos Blind Zero, banda formada em 1994 e que, um ano depois, lançou um primeiro EP (“Recognize”) que esgotou em apenas nove dias e é hoje uma peça de coleção na história da edição discográfica portuguesa.

Os Blind Zero, que comemoraram 25 anos de percurso em 2019. Têm oito discos de originais, o último dos quais, “Often Trees”, foi editado em 2017.

Fonte: Media RTP

Miguel Guedes

Partilhe
Share on facebook
Facebook