As festividades religiosas são, para os coros e especialmente para as bandas filarmónicas sendo, neste caso, oportunidade para apresentações em público, em arruadas, procissões, concertos e animação da missa solene.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

realejo (o mesmo que gaita de beiços, harmónica, harmónica de boca) é uma designação popular de um instrumento musical de sopro cujos sons são produzidos por um Conjunto de palhetas livres em vibração. Possui na embocadura um Conjunto de furos por onde o instrumentista sopra ou suga o ar. Devido ao seu pequeno tamanho – cabe normalmente num bolso-, a gaita não tem caixa de ressonância. O termo pode designar também um instrumento de música mecânica que toca música predefinida, por meio de uma manivela; ou um tipo de órgão de tubos.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

A gaita de beiços, harmónica, harmónica de boca (também conhecida popularmente como realejo é um instrumento musical de sopro cujos sons são produzidos por um Conjunto de palhetas livres em vibração. Possui na embocadura um Conjunto de furos por onde o instrumentista sopra ou suga o ar. Devido ao seu pequeno tamanho, a gaita não tem caixa de ressonância. O tocador usa as mãos em concha para amplificar o som e produzir efeitos, como variações de afinação e intensidade ou vibrato.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

A harmónica, gaita de beiços, harmónica de boca (também conhecida popularmente como realejo é um instrumento musical de sopro cujos sons são produzidos por um Conjunto de palhetas livres em vibração. Possui na embocadura um Conjunto de furos por onde o instrumentista sopra ou suga o ar. Devido ao seu pequeno tamanho, a gaita não tem caixa de ressonância. O tocador usa as mãos em concha para amplificar o som e produzir efeitos, como variações de afinação e intensidade ou vibrato.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

janeireiros são indivíduos que cantam as janeiras, em grupo, para desejar bom ano a familiares e conterrâneos e pedir, em certos casos, géneros ou dinheiro para apoiar certas causas ou projetos.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

O fadinho batido é uma dança tradicional popularizado no Ribatejo e Estremadura. Tem um ritmo marcado, fácil de acompanhar. Os bailadores se organizam numa grande roda simples de pares. Numa primeira parte da melodia, cada elemento do par ora se vira para o seu parceiro ora para o parceiro vizinho. Na segunda parte da coreografia, os dois elementos de um mesmo par trocam de lugar entre si quatro vezes rodopiando sobre si mesmos perfazendo uma volta completa. O elemento que se encontra à direita rodopia pela esquerda, e o elemento da esquerda rodopia pela direita. Ao chegar ao lugar do seu parceiro, mas também quando regressam ao seu lugar, os bailadores batem três palmas. (Fonte: A Dança a Gostar Dela Própria)

Partilhe
Share on facebook
Facebook

Cantar as janeiras é uma prática tradicional a seguir ao Natal e no mês de janeiro, que leva grupos de janeireiros a ir de casa em casa, ou a cantar num lugar público, canções tradicionais a desejar um bom ano e pedir a janeira.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

reisadas, ou cantar dos reis, é uma secular tradição portuguesa que acontece entre o Natal (25 de dezembro) e o dia de Reis (6 de janeiro), assumindo características diferenciadoras em certas regiões.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

O cantar dos reis, também chamado “reisadas”, é uma secular tradição portuguesa que acontece entre o Natal (25 de dezembro) e o dia de Reis (6 de janeiro), assumindo características diferenciadoras em certas regiões.

Partilhe
Share on facebook
Facebook

guitolão é um cordofone português apresentado pela primeira vez ao público a 18 de Junho de 2005. Foi idealizado por Carlos Paredes e construído por Gilberto Grácio e apenas dois exemplares foram construídos.

Partilhe
Share on facebook
Facebook